Tópico 5 – Tecnologias de Apoio

Um dos pedidos que nos é feito, frequentemente, quando vamos a unidades especializadas de apoio à multideficiência, vai no sentido de aconselharmos software que permita criar quadros de comunicação apelativos e desenhar atividades que desenvolvam a intencionalidade e a autonomia.

Esta semana procurei encontrar um software que respondesse a esse pedido e que, simultaneamente, fosse livre de custos (existe no mercado software com essas características, mas sabemos o seu preço!). Nessa pesquisa encontrei um software muito interessante desenvolvido pelo Departamento de Informática e Engenharia de Sistemas da Universidade de Zaragoza e pela Escola Pública de Educação Especial Alborada.
O software é composto por duas aplicações diferentes: Editor e Intérprete.

  •  Com o editor concebem-se os quadros contendo células-itens, que podem ser relacionados com imagens, sons e vídeo, bem como links de navegação entre o conjunto de quadros contidos num projeto TICO (um conjunto de quadros relacionados é organizado no que é chamado um “projeto TICO”).

  • Uma vez concebido, um projeto TICO pode ser executado (interpretado) com o intérprete. Na execução, a navegação automática pode ser organizada de modo que as células são visitadas de acordo com a ordem de navegação pré-definida. Quando um clique do rato é gerado ao longo da célula ativa, o conjunto de ações associadas é então executado. Isto torna muito fácil de preparar ambientes diferentes que podem ajudar as pessoas com deficiência a comunicar. Esta aplicação inclui uma função que faz varrimento sequencial pelos elementos do quadro, facilitando assim o acesso a pessoas que têm problemas motores.

Está disponível para download.

Resolvi experimentar este software e fiquei encantada com as potencialidades do mesmo.
Para mostrar como era fácil utilizá-lo resolvi fazer um pequeno tutorial (outra estreia!).
Pode ser visto aqui.

Tópico 4 – Acessibilidade WEB

O termo Acessibilidade Web refere-se a prática de fazer websites que possam ser utilizados por todas as pessoas, sejam portadoras de deficiências ou não. Quando os sites são corretamente concebidos, desenvolvidos e editados, todos os utilizadores podem ter igual acesso à informação e funcionalidade (adaptado de Wikipédia).

Este tópico tornou-me mais consciente das dificuldades que muitas pessoas têm para aceder à informação e mostrou-me a necessidade de aprender mais, muito mais…, para um dia ter um Blogue acessível.

O  trabalho apresentado em PREZI, resultou da vontade de perceber como funcionava esta ferramenta.

E ainda:

Enquanto reunia informação sobre este tema, fiquei admirada por as redes sociais não respeitarem as regras de acessibilidade como demonstra um relatório do Observatório da  Acessibilidade TIC  (discapnet).
                        Puntuación mínima: 0 estrellas. Puntuación máxima: 5 estrellas. 



Na pesquisa para este trabalho também encontrei este vídeo que recomendo.

EDUARD PUNSET (REDES) 29.05.2012

“Está claro que la vida es mejor gracias a la tecnología. Pero la tecnología que sirve para consolidar la vida en sociedad, puede significar un obstáculo que margina a un grupo determinado de personas, como puede ser el colectivo de personas con discapacidad visual”.

Pode ser visualizado aqui.

 

 

Tópico 3 – Desenho Universal na Aprendizagem

 

Desenho Universal ou Desenho para Todos tem por objetivo conceber projetos arquitetónicos, sinalética ou, nomeadamente, objetos destinados a ser utilizados pela generalidade das pessoas, simplificando a vida diária de todos, independentemente da idade ou condição física, tornando os objetos, os equipamentos, a informação e as construções utilizáveis pelo maior número de pessoas possível, de modo a que todos possam viver com qualidade numa sociedade que se deseja inclusiva.

Os Princípios básicos do Desenho Universal são: utilização equitativa; flexibilidade de utilização; utilização simples e intuitiva; informação percetível; tolerância ao erro; esforço físico mínimo e dimensão e espaço de abordagem e de utilização.

O Desenho Universal também se aplica à educação consistindo num conjunto de princípios para o desenvolvimento curricular que proporcione a todos os alunos igualdade de oportunidades para aprenderem.

A Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner ao afirmar que cada indivíduo possui formas distintas de inteligência em graus variados (linguística, musical, lógico-matemática, espacial, corporal, intrapessoal, interpessoal, naturalista e existencial, vem chamar a atenção para a necessidade do ensino/aprendizagem focalizar-se sobre as inteligências particulares de cada pessoa. Gardner chama a atenção para o facto de que inteligências diferentes representam não apenas domínios diferentes de conteúdo, mas também modalidades de aprendizagem.

O trabalho realizado pela equipa D, procura refletir a filosofia comum entre a Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner e os princípios do Desenho Universal na Aprendizagem.

URL: http://www.slideshare.net/catarinacamelo/as-teorias-14998490